podcast

Episódio 17 – Creative Commons


A) O que é o Creative Commons? O Creative Commons é um novo sistema, construído com a lei atual de direitos autorais, que possibilita a você compartilhar suas criações com outros e utilizar música, filmes, imagens, e textos online que estejam marcados com uma licença Creative Commons.
Organização sem fins lucrativos dedicada a expandir a quantidade de trabalho criativo, para que outros possam legalmente partilhar e criar trabalhos com base em outros.

O site do Creative Commons permite detentores de copyright oferecer alguns dos seus direitos ao público, enquanto retêm outros, através duma variedade de licenças e de contratos. Estes podem incluir licenças de domínio público ou de conteúdo aberto. A intenção é evitar problemas com a lei atual sobre copyright.
– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Link para Episódio 17, em MP3: Rapid Share.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

B) qual a FINALIDADE do Creative Commons?

O site do Creative Commons permite detentores de copyright oferecer alguns dos seus direitos ao público, enquanto retêm outros, através duma variedade de licenças e de contratos. Estes podem incluir licenças de domínio público ou de conteúdo aberto. A intenção é evitar problemas com a lei atual sobre copyright.
O projeto disponibiliza diversas licenças livres que os detentores dos direitos de autor podem utilizar quando lançam os seus trabalhos na internet. Disponibiliza ainda arquivos RDF/XML que descrevem a licença e o trabalho de forma a tornar mais fácil localizar e processar obras licenciadas.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

C) Quando foi lancado?

O Creative Commons foi lançado oficialmente em 2001.
Lawrence Lessig, o fundador e presidente da Creative Commons
– – – – – – – – – – – – – – – – –

D) As licenças já se encontram totalmente adaptadas à legislação brasileira?

Sim, totalmente. O projeto Creative Commons é coordenado no Brasil pelo Centro de Tecnologia e Sociedade da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas, no Rio de Janeiro.
Atualmente, mais de 30 países já possuem as licenças Creative Commons totalmente adaptadas às legislações locais, incluindo França, Alemanha, Itália.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

E) Quais são tipos de licenças?

Todas as nossas licenças requerem que seja dado crédito (atribuição) ao autor , da forma por eles especificada.
Vou citar algumas Licenças Creative Commons

Noncommercial: Uso Não Comercial.Você permite que outras pessoas copiem, distribuam e executem sua obra ?± e as obras derivadas criadas a partir dela ?± mas somente para fins não comerciais.

No Derivative Works: Não à Obras Derivadas.Você permite que outras pessoas copiem, distribuam e executem somente cópias exatas da sua obra, mas não obras derivadas.
Exemplo: Sara licencia a gravação de sua música com uma licença Não à Obras Derivadas. João deseja cortar uma faixa da música de Sara e incluí-la em sua própria obra, remixando-a e criando uma obra totalmente nova. João não pode fazer isso sem autorização de Sara (a menos que a música de João esteja no ‚Äömbito do conceito de uso legítimo).

Share Alike: Compartilhamento pela mesma Licença. Você pode permitir que outras pessoas distribuam obras derivadas somente sob uma licença idêntica à licença que rege sua obra.
Exemplo: A fotografia de Gustavo é licenciada sob as condições de Uso Não Comercial e Compartilhamento pela mesma Licença. Camila é uma artista amadora de colagem. Ela usa a fotografia de Gustavo em uma de suas colagens. A condição do Compartilhamento pela mesma Licença exige que Camila disponibilize sua colagem com uma licença Uso Não Comercial plus- Compartilhamento pela mesma Licença. Esta condição faz com que Camila disponibilize sua obra a todas as pessoas sob os mesmos termos com os quais Gustavo disponibilizou a ela.

F) COMO OBTER UMA LICEN¬´A e COMO US¬°-LA

Quando você fizer sua escolha de qual licença deseja, você obterá a licença apropriada em três formatos:
1. Licença para Leigos (Commons Deed). Um resumo da licença em linguagem simples, completa e com os ícones relevantes.
2. Licença Jurídica. A licença detalhada para que você tenha certeza que será valida perante o judiciário.
3. Licença para máquinas. Uma versão da licença que pode ser lida por computadores e que ajuda mecanismos de buscas e outras aplicações a identificar sua obra, bem como seus termos de uso.

Usando uma Licença
Você deve em seguida incluir um botão ?¨Alguns Direitos Reservados?Æ do Creative Commons próximo à sua obra. Este botão levará à Licença para Leigos, de forma que todos possam ter ciência dos termos da licença. Se você descobrir que alguém violou sua licença, você terá fundamentos para processá-la por violação de direitos autorais.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

G) QUEM CUIDA DISTO NO BRASIL?

O representante no Brasil eh o Centro de Tecnologia e Sociedade, da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas no Rio de Janeiro.

O iCommons é a entidade internacional que conglomera os representantes do Creative Commons de todo o mundo, formando a maior rede internacional de pensadores e ativistas atuantes na área de propriedade intelectual e tecnologia da informação.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

H) Quem é RONALDO LEMOS

Ele tem 29 anos e já coleciona lutas sobre a democratização da tecnologia e cultura no mundo. Advogado formado pela Universidade de São Paulo e com um mestrado em Harvard, Ronaldo Lemos hoje é o representante brasileiro da nova licença para direitos autorais, o Creative Commons.

A) O que é o Creative Commons? O Creative Commons é um novo sistema, construído com a lei atual de direitos autorais, que possibilita a você compartilhar suas criações com outros e utilizar música, filmes, imagens, e textos online que estejam marcados com uma licença Creative Commons.
Organização sem fins lucrativos dedicada a expandir a quantidade de trabalho criativo, para que outros possam legalmente partilhar e criar trabalhos com base em outros.

O site do Creative Commons permite detentores de copyright oferecer alguns dos seus direitos ao público, enquanto retêm outros, através duma variedade de licenças e de contratos. Estes podem incluir licenças de domínio público ou de conteúdo aberto. A intenção é evitar problemas com a lei atual sobre copyright.
– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Link para Episódio 17, em MP3: Rapid Share.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

B) qual a FINALIDADE do Creative Commons?

O site do Creative Commons permite detentores de copyright oferecer alguns dos seus direitos ao público, enquanto retêm outros, através duma variedade de licenças e de contratos. Estes podem incluir licenças de domínio público ou de conteúdo aberto. A intenção é evitar problemas com a lei atual sobre copyright.


O projeto disponibiliza diversas licenças livres que os detentores dos direitos de autor podem utilizar quando lançam os seus trabalhos na internet. Disponibiliza ainda arquivos RDF/XML que descrevem a licença e o trabalho de forma a tornar mais fácil localizar e processar obras licenciadas.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

C) Quando foi lancado?

O Creative Commons foi lançado oficialmente em 2001.
Lawrence Lessig, o fundador e presidente da Creative Commons
– – – – – – – – – – – – – – – – –

D) As licenças já se encontram totalmente adaptadas à legislação brasileira?

Sim, totalmente. O projeto Creative Commons é coordenado no Brasil pelo Centro de Tecnologia e Sociedade da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas, no Rio de Janeiro.
Atualmente, mais de 30 países já possuem as licenças Creative Commons totalmente adaptadas às legislações locais, incluindo França, Alemanha, Itália.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

E) Quais são tipos de licenças?

Todas as nossas licenças requerem que seja dado crédito (atribuição) ao autor , da forma por eles especificada.
Vou citar algumas Licenças Creative Commons

Noncommercial: Uso Não Comercial.Você permite que outras pessoas copiem, distribuam e executem sua obra ?± e as obras derivadas criadas a partir dela ?± mas somente para fins não comerciais.

No Derivative Works: Não à Obras Derivadas.Você permite que outras pessoas copiem, distribuam e executem somente cópias exatas da sua obra, mas não obras derivadas.
Exemplo: Sara licencia a gravação de sua música com uma licença Não à Obras Derivadas. João deseja cortar uma faixa da música de Sara e incluí-la em sua própria obra, remixando-a e criando uma obra totalmente nova. João não pode fazer isso sem autorização de Sara (a menos que a música de João esteja no ‚Äömbito do conceito de uso legítimo).

Share Alike: Compartilhamento pela mesma Licença. Você pode permitir que outras pessoas distribuam obras derivadas somente sob uma licença idêntica à licença que rege sua obra.
Exemplo: A fotografia de Gustavo é licenciada sob as condições de Uso Não Comercial e Compartilhamento pela mesma Licença. Camila é uma artista amadora de colagem. Ela usa a fotografia de Gustavo em uma de suas colagens. A condição do Compartilhamento pela mesma Licença exige que Camila disponibilize sua colagem com uma licença Uso Não Comercial plus- Compartilhamento pela mesma Licença. Esta condição faz com que Camila disponibilize sua obra a todas as pessoas sob os mesmos termos com os quais Gustavo disponibilizou a ela.


– – – – – – – – – – – – – – – – –

F) COMO OBTER UMA LICEN¬´A e COMO US¬°-LA

Quando você fizer sua escolha de qual licença deseja, você obterá a licença apropriada em três formatos:
1. Licença para Leigos (Commons Deed). Um resumo da licença em linguagem simples, completa e com os ícones relevantes.
2. Licença Jurídica. A licença detalhada para que você tenha certeza que será valida perante o judiciário.
3. Licença para máquinas. Uma versão da licença que pode ser lida por computadores e que ajuda mecanismos de buscas e outras aplicações a identificar sua obra, bem como seus termos de uso.

Usando uma Licença
Você deve em seguida incluir um botão ?¨Alguns Direitos Reservados?Æ do Creative Commons próximo à sua obra. Este botão levará à Licença para Leigos, de forma que todos possam ter ciência dos termos da licença. Se você descobrir que alguém violou sua licença, você terá fundamentos para processá-la por violação de direitos autorais.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

G) QUEM CUIDA DISTO NO BRASIL?

O representante no Brasil eh o Centro de Tecnologia e Sociedade, da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas no Rio de Janeiro.

O iCommons é a entidade internacional que conglomera os representantes do Creative Commons de todo o mundo, formando a maior rede internacional de pensadores e ativistas atuantes na área de propriedade intelectual e tecnologia da informação.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

H) Quem é RONALDO LEMOS

Ele tem 29 anos e já coleciona lutas sobre a democratização da tecnologia e cultura no mundo. Advogado formado pela Universidade de São Paulo e com um mestrado em Harvard, Ronaldo Lemos hoje é o representante brasileiro da nova licença para direitos autorais, o Creative Commons.


Ronaldo concedeu esta entrevista a Caros Amigos durante a maior conferência mundial de cultura livre, o iSummit, que aconteceu no Rio de Janeiro, o iSummit, dia 23, 24 e 25 de junho.
Um dos maiores eventos relacionados à propriedade intelectual e cultura livre no mundo. Foi o encontro global do Creative Commons: o iCommons Summit.
Representantes de mais de sessenta países estiveram reunidos no Brasil para discutir o tema “Compartilhando: ferramentas, práticas e políticas”.
Dentre os participantes estava o criador do CC: Lawrence Lesssig, o inventor da Wikipedia, Jimmy Walles e varias pessoas ligadas a projetos de Cultura Livre, software livre dentre outros.

– – – – – – – – – – – – – – – – –

I) Qual é a maior resistência do artista pra disponibilizar e licenciar a obra dele em Creative Commons?

Já que tem quem não queira que a obra seja remixada, ou perca o enfoque que ele quis dar.
Creative Commons não é para todo mundo, não tem nenhuma pretensão ?¨universalizante?Æ e nem a gente diz que o artista deve licenciar sua obra em Creative Commons…
A grande força do negócio é o fato de ser voluntário.
– – – – – – – – – – – – – – – – –

J) Pra quem faz sentido licenciar pela CC?

Para novos artistas que estão preocupados mais em que o seu conteúdo seja ouvido, do que qualquer outra coisa. Porque, se você é novo, e quer se tornar viável economicamente, o que você precisa é estabelecer uma relação com o público.Na medida em que consegue estabelecer essa relação, você vai se tornar viável economicamente, independente de qualquer modificação tecnológica.
Se você criar um público que se interesse pela sua obra, que acompanhe o que você faz e etc, pode haver qualquer modificação tecnológica que você vai continuar a ser viável economicamente. Os exemplos disso são muitos.
Desde Artic Monkeys é um destes exemplos,eles apareceram por causa da internet e construíram um público. O Cansei de Ser Sexy também…
Mostrar que ter uma certa flexibilidade com os direitos, na verdade, atende à aspiração do consumidor. O consumidor que hoje tem a música, quer tocá-la no IPod, quer tocar no rádio do carro, quer mandar música para os amigos. Isso é uma aspiração do consumidor.
Então, quer dizer, é uma questão de percepção que essa tecnologia digital de fato gera uma emancipação de produções culturais autônomas.
– – – – – – – – – – – – – – – – –
Talvez o Creative Commons também seja um meio de levar a digitalização para mais pessoas…Ajuda porque cria conteúdo livre. Por exemplo, o podcast. Hoje, se eu quiser fazer um podcast tenho um problema sério, se colocar música no meu podcast ele se torna ilegal. Quer dizer, estamos fazendo um podcast aqui, se você resolver tocar um Chico Buarque, é ilegal. Não pode colocar, você tem de pedir autorização para o Chico Buarque, eventualmente para a editora do Chico Buarque, para a gravadora do Chico Buarque. Então, nessa brincadeira vai ter de pedir permissão para umas três, quatro pessoas, para colocar uma música em um podcast. O Creative Commons já cria um conjunto de conteúdo que está previamente autorizado. Um único site nos Estados Unidos, que é o soundclick.com já tem mais de 200 mil musicas licenciadas em Creative Commons, ou seja, são musicas que você pode pegar e já colocar no seu podcast sem medo de ser processado, sem absolutamente nada.

– – – – – – – – – – – – – – – – –

Link direto para Episódio 17, em MP3: click aqui.

– – – – – – – – – – – – – – – – –

Fontes consultadas:

http://pt.wikipedia.org

http://www.creativecommons.org.br/

http://lists.ibiblio.org/

http://www.softwarelivre.org/

Vídeo explicativo sobre Creative Commons

http://mirrors.creativecommons.org/getcreative/

http://mirrors.creativecommons.org/reticulum_rex/